Janaina Pereira

julho 13, 2015

Casas apostam na união de cinema e gastronomia

Bares e lanchonetes temáticos apostam no amor à sétima arte para promover cardápios inusitados em ambientes com inspiração cinematográfica

Por Janaina Pereira

Pense em um lugar em que você se sente dentro da Millenium Falcon, a lendária espaçonave de Han Solo em Star Wars. Ou que você dá de cara com a réplica da guitarra em que Michael J. Fox tocou Johnny B. Goode em De Volta para o Futuro.Esses lugares são reais, e podem ser encontrados não nos cinemas, mas em bares e lanchonetes que apostaram na sétima arte para inspirar a decoração e o cardápio.
A GQ Brasil visitou quatro casas em São Paulo e no Rio de Janeiro em que  é possível curtir ambientes especialmente decorados com a paixão pelos mais variados filmes e ainda degustar pratos e sanduíches cuja maior diversão é identificar as referências à sétima arte.
Jedi’s
Com um mês de funcionamento, a casa é um fenômeno tão grande quanto a saga Star Wars, em quem ela foi inspirada. Segundo Robson Perez, fã da série, um dos sócios e chef responsável pelo extenso cardápio, em alguns finais de semana as pessoas chegam a ficar até quatro horas para apreciar os hits da lanchonete: o Big Jedi´s (dois hambúrgueres, alface, queijo, picles) e o Pic Jedi´s – Darth Vader (hambúrguer de picanha, alface, queijo prato, cebola). Em ambos, os segredos do chef: um molho especial – de fato diferente – chamado Jedi´s, e um pão preto que, segundo Perez, não tem corante.

Jedi's, ponto concorrido na Chácara Santo Antonio, em São Paulo (Foto: Divulgação)
JEDI’S, PONTO CONCORRIDO NA CHÁCARA SANTO ANTONIO, EM SÃO PAULO (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Há de tudo, muito: massas, risotos, pratos, porções, sucos, milk shakes, sobremesas e até saladas – uma delas leva o nome da Princesa Lea. Perez faz questão de ressaltar que a casa não é uma hamburgueria, e que a proposta é reunir a família e, claro, os fãs deStar Wars. Mas quem ouviu por aí que Darth Vader e companhia circulam entre os garçons, é bom saber que isso não é verdade: os personagens estão lá, mas em fotos espalhadas pela decoração.

Com exclusividade para a GQ Brasil, o chef revelou que vai lançar nas próximas semanas um novo sanduíche, com 4,5 kg, e que será servido apenas em alguns dias da semana, e no máximo três em cada um desses dias. “Vamos usar um hambúrguer diferenciado e produtos especialmente selecionados. Vai ser totalmente diferente do que as pessoas já comeram em outros lugares”, afirma. Enquanto o novo hambúrguer não entra no cardápio, as filas na Jedi´s se multiplicam, e ninguém escapa de dar um pulinho no banheiro para conferir Luke e Lea nas portas.

Rua Verbo Divino, 1194, Chácara Santo Antonio, São Paulo. Tel.: (11) 2387-2552 

Soundtrackers Café
Rodrigo Rodrigues, jornalista e músico, está à frente da banda Soundtrackers, lançada em 2008. Enquanto fazia um Guia para conhecer Londres de metrô, ele foi surpreendido pelo Sticky Fingers Café, lanchonete temática aberta no final dos anos 1980 pelo então baixista dos Rolling Stones, Bill Wyman. “Foi então que pensei: ‘a gente tem uma banda que toca trilha de cinema, se veste com figurino de cinema… podia fazer uma hamburgueria”, conta Rodrigues. Assim nasceu o Soundtrackers Cafe, que acaba de completar um ano.

Rodrigo Rodrigues, do Soundtrackers (Foto: Divulgação)
RODRIGO RODRIGUES, DO SOUNDTRACKERS (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Com decoração fortemente inspirada nos anos 1980 – com direito a vinil com a trilha sonora original de filmes como Footloose – a casa tem um cardápio de hambúrgueres inspirados em produções como Grease e Kill Bill, mas também oferece pratos, massas, sobremesas e milk shakes, tudo assinado pelo chef Eduardo Vasconcellos, sócio de Rodrigues.

“Todos os sanduíches têm uma associação ao filme que leva o seu nome. O hambúrguer com molho de tomate e parmesão, por exemplo, é super italiano, por isso se chama Mamma Mia. Já o Rocky Balboa tem ovos mexidos, e é uma alusão a cena em que o Rocky come ovo cru antes de treinar”, explica o músico.

Soundtracker's Café (Foto: Divulgação)
SOUNDTRACKERS CAFÉ (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Na playlist, trilha sonora de filmes, claro. Vale experimentar o hambúrguer Goonies, com cebola caramelizada e uma porção generosa de queijo cheddar derretido – e enquanto você come, vai descobrindo nas paredes objetos raros dos mais variados filmes, como diversos materiais do De Volta Para o Futuro. Para quem tem mais de 30 anos é uma verdadeira viagem no túnel do tempo sem precisar usar um DeLorean. E uma curiosidade: enquanto espera o seu pedido, é servido pipoca como cortesia. Mais cinematográfico, impossível.

Praça Benedito Calixto, 94, Pinheiros, São Paulo. Tel.: (11) 3083-2416

Big Kahuna
Fã incondicional de Quentin Tarantino, o empresário Renato Carvalho Veras Jr. se inspirou nos filmes do diretor para criar uma hamburgueria. “Já assisti a Pulp Fictionmais de 200 vezes”, revela Veras, explicando porque este filme ocupa mais espaço do que outros nas paredes ‘sujas’ de sangue. “Não temos aquela coisa clean de outras lanchonetes. Aqui é o universo Tarantino”, complementa.

De fato entrar na Big Kahuna é um delírio visual para quem gosta do cineasta. Posters de seus filmes, alusão aos personagens mais famosos no cardápio e uma TV com Pulp Fiction sendo exibido o tempo todo chamam a atenção. Os hambúrgueres, claro, são as estrelas, e um deles é para os fortes: Ezequiel 25:17 vem com cinco deles, bacon, queijos cheddar, mussarela e estepe, salada, cebola palha e maionese verde. Quem pede, ganha uma camiseta. “As pessoas aparecem em grupos para enfrentar o desafio de comer este sanduíche”, conta o proprietário.

Para aqueles com menos apetite, o Big Kahuna, que dá nome a casa, pode ser apreciado em versão pequena (hambúrguer de 140 gramas). O sanduíche, que tem cebola roxa, queijo, fatias de tomate caqui e a saborosa maionese da casa, traz ainda outro destaque da lanchonete: o bacon, ingrediente presente na maior parte do cardápio. Outro detalhe que faz diferença é o hambúrguer feito na grelha de carvão, dando um sabor especial à carne.

Big Kahuna, nos Jardins, é inspirada no filme de Tarantino 'Pulp Fiction' (Foto: Divulgação)
BIG KAHUNA, NOS JARDINS, É INSPIRADA NO FILME DE TARANTINO ‘PULP FICTION’ (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Todas as receitas vieram da experiência de Veras em comer hambúrgueres mundo afora. Hoje ele comemora dois anos e meio do seu Big Kahuna. “O nosso objetivo é tornar a presença dos clientes na casa uma experiência. Queremos que as pessoas venham aqui sem pressa, que comam e se divirtam”, conclui.

Alameda Lorena, 53, Jardins, São Paulo. Tel.: (11) 3051-6268

Cine Botequim
O designer gráfico Felipe Trotta era dividido entre duas paixões: a boemia carioca e o cinema. Sem um boteco com essa temática no Rio de Janeiro, ele resolveu unir os dois, e assim surgiu o Cine Botequim, que já está em seu quarto ano no centro do Rio.
O amor do proprietário pelo cinema fica explícito nas paredes repletas de quadros de filmes, projetores de películas antigas e bonecos de personagens como o Jason deSexta-feira 13. “Acho que as referências ao cinema se misturam com a informalidade e a criatividade carioca. E essa descontração vai além do ambiente, porque no cardápio temos títulos de filmes e grandes atores batizando os pratos”, conta.

A protagonista do menu é a Liga das Coxinhas, com sete sabores inusitados do famoso salgado, com destaque para Capitão Nascimento, que tem galinha ao curry apimentado com calabresa, alecrim e provolone. Os petiscos dignos de um boteco carioca também estão lá, todos com referências temáticas, como o apetitoso Vidas Secas (carne seca desfiada e carne do sol acebolada na manteiga de garrafa, queijo coalho frito e aipim crocante à moda da casa) e Tempos Modernos (filé aperitivo acebolado com opções de molho gorgonzola ou madeira, acompanhado de fatias de pão).
A casa ainda oferece opções de caldos, sanduíches e, claro, cerveja. Afinal, boteco sem cerveja, não tem graça. São cerca de 100 rótulos com sugestões de harmonização. Os drinques, também ganham nomes temáticos, como A Dama de Vermelho (gin, campari, vermute e uma rodela de laranja) e o Buena Vista (rum de maçã, hortelã e soda de limão). O Cine Botequim ainda tem um telão onde são exibidos filmes independentes de cineastas e estudantes de cinema. Tudo com o clima descontraído tipicamente carioca.
Rua Conselheiro Saraiva, nº 39, Centro, Rio de Janeiro. Tel.: (21) 2253-1414

Coxinha do Cine Botequim (Foto: Divulgação)
COXINHA DO CINE BOTEQUIM (FOTO: BERG SILVA/ DIVULGAÇÃO)
Publicado na GQ Online. Veja aqui.

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: